ProjettoPonttoFinal

Vai proporcionar aos visitantes/leitores, temas livres com assuntos variados. Falar de variedades me atrai por ser democrático e rico em possibilidades.

Hora certa

CUMPRIMENTO

Banner

Quem sou eu?

Minha foto

IMPERFEITA, PECADORA, HUMANA, GRATA, mulher, mãe, avó, amiga leal.
Apaixonada  por Deus, pela minha família e pela vida, o que ela me dá de ruim eu deleto, o que vem de bom eu recebo e agradeço.

PESSOAS LINDAS QUE ME APOIAM!!

segunda-feira, 30 de março de 2009

DR. JOSÉ O. CERVANTES-LOLI

O peso fetal e a obesidade



Estudos atuais demonstram que o peso ao nascer é um fator determinante tanto para a obesidade infantil, como para se perpetuar a obesidade na idade adulta.

Sabe-se que o peso materno e as características alimentares da mãe durante a gestação podem influenciar diretamente no crescimento e no peso do feto. Mulheres obesas com histórico de diabetes na família, normalmente desenvolvem o diabetes gestacional oferecendo ao feto, pela via placentária, uma alta carga glicêmica (altas taxas de açúcar), especialmente nos últimos meses de gestação. Esta oferta excessiva de nutrientes causa um exagero no crescimento e determina um alto peso ao nascer (peso maior ou igual a 4kg). Esses recém-nascidos considerados grandes para a idade gestacional apresentam um maior risco para obesidade, diabetes do tipo 2, e doenças cardiovasculares no transcorrer da vida.

Por outro lado, para fetos sofridos com a desnutrição intra-uterina, e que nascem pequenos demais, as pesquisas também apontam para um futuro de obesidade, a se iniciar até os cinco anos de idade. Estas crianças também são propensas a apresentar pêlos pubianos (nos genitais), precocemente, assim como uma antecipação da puberdade, Síndrome dos Ovários Policísticos e obesidade abdominal até o final da adolescência. Esses casos também podem resultar em diabetes do tipo 2.

Essas “marcas nutricionais” extremas desde o intra-útero são capazes de convergir então, para um mesmo caminho metabólico: o da obesidade abdominal, a pior de todas elas! Este conhecimento vem alertar e prevenir sobre a necessidade de um equilíbrio alimentar desde a mãe, à criança até a adolescência, pois só assim parece reduzir-se o risco de se ficar obeso na idade adulta.


Deixe seu comentário no Blog: http://clinicacervantes.blogspot.com/
Visite o Site: http://www.clinicacervantes.med.br/
Dr. José O. Cervantes-Loli
Endocrinologista & Metabologista
Fone: (43) 3424-2344

Um comentário:

Obrigada por visitar meu blog e deixar seu comentário. Se for da sua vontade pode ser meu seguidor ou minha seguidora, clica na palavra Seguir rolando a página, no lado direito.Sua opinião é de grande valor!